Proposta de Encenação

     A criação do espetáculo foi alimentada pela seguinte pergunta: “O que precisa morrer para um palhaço nascer?”. Com objetivo de criar uma aproximação da atmosfera e da história do circo, e para aprofundamento dos conhecimentos dos artistas da Cia na criação do espetáculo, o grupo iniciou a pesquisa realizando instrumentalizações em circo e música. Assim como nos demais espetáculos dessa trilogia, a criação de Piolin seguiu caminhos que perpassaram a poesia de cena e a ludicidade. A peça é dividida em três partes: o nascimento, o reconhecimento e o “desreconhecimento”.

     Foram estabelecidos paralelos entre a história de Piolin e os dias de hoje, afetados pelo texto “A Caixa de Brinquedos” de Rubem Alves; e pela frase que José Celso Martinez Corrêa disse para Silvio Santos, num vídeo vazado na internet: “Essa cidade não aguenta mais torre. São Paulo vai se enfartar de tanto carro e tanta torre! Tem que ter uma transformação!”.

     As cenas foram impulsionadas pela necessidade de trazer a reflexão sobre a forma de vida a que todas as pessoas estão sujeitas: substituindo seu espaços de poesia, dentro e fora de si, por “praticidades” e “utilidades”.

%d blogueiros gostam disto: